Hóquei em Patins

A Mais Recente Taça de Campeão Nacional de Hóquei em Patins Já Faz Parte do Museu do FC Porto

Os dragões da cidade invicta conquistaram a vitória do Campeonato Nacional de Hóquei em Patins na mais recente época de 2018/2019. O FC Porto derrotou o Riba D’Ave, de Famalicão, por 6-3.

A equipa conseguiu assim mais uma taça para a coleção do museu do FC Porto. A formação de jogadores e a equipa técnica da modalidade de hóquei em patins entregaram pessoalmente a taça a Jorge Nuno Pinto da Costa, o presidente portista.

Pinto da Costa, entusiasmado com a conquista, usou o termo “fantástico” para se referir ao plantel de atletas.

O treinador, Guillem Cabestany, também tem imensos motivos para receber elogios. Afinal, desde a sua chegada aos azuis e brancos há três anos, a equipa de hóquei em patins já colecionou oito títulos nacionais. Segundo o próprio, Cabestany não se contentaria com menos do que o troféu nesta temporada.

O FC Porto acumula já 23 Campeonatos Nacionais e 69 títulos de hóquei em patins. Todos esses troféus foram conseguidos durante a presidência de Pinto da Costa. Aqui fica o que o presidente, o treinador e o capitão tiveram a dizer sobre o feito impressionante.

Jorge Nuno Pinto da Costa

imagem artigo AMaisRecenteTacaDeCampeaoNacionaldeHoqueiEmPatinsJaFazPartedo JorgeNunoPintodaCosta - A Mais Recente Taça de Campeão Nacional de Hóquei em Patins Já Faz Parte do Museu do FC Porto

Para o presidente do FC Porto, fica claro que o hóquei em patins é das modalidades que mais contribui para o museu do clube, com todas as dezenas de troféus que os jogadores e técnicos já reclamaram.

Pinto da Costa sublinha o trabalho de Ilídio Pinto, absolutamente indelével na história do FC Porto. Foi ele quem iniciou o caminho do clube na modalidade de hóquei em patins. O seu filho, Eurico Pinto, soube muito bem dar continuidade aos esforços instaurados pelo pai.

O presidente considera realmente notável que, no espaço de três anos, e num universo de onze títulos possíveis, o atual treinador Guillem Cabestany tenha liderado o grupo de talentos na conquista de oito desses troféus, uma estatística surpreendente.

Em palavras dirigidas especificamente aos atletas, Pinto da Costa assegurou-os do facto de que são eles a base de toda e qualquer vitória alcançada pelo clube.

Para aqueles que iniciarão a sua aventura numa nova equipa na época de 2019/2020, o presidente deseja que guardem as melhores recordações do FC Porto. Para os que se mantêm no clube, deseja que o orgulho em usar o emblema dos dragões nunca diminua e que encham o museu com mais taças de hóquei em patins.

Guillem Cabestany

imagem artigo AMaisRecenteTacaDeCampeaoNacionaldeHoqueiEmPatinsJaFazPartedo GuillemCabestany - A Mais Recente Taça de Campeão Nacional de Hóquei em Patins Já Faz Parte do Museu do FC Porto

Para o treinador, o triunfo no campeonato é o resultado direto de todo o trabalho demonstrado na época. Guillem Cabestany estima com mais carinho esta conquista, precisamente por ser o fruto da consistência em performance durante largos meses.

Há troféus que se ganham devido a momentos de inspiração. Mas o primeiro lugar no campeonato só é possível com treino, resiliência e esforço incessante. Para Cabestany, o Campeonato Nacional é a derradeira meta.

Hélder Nunes

imagem artigo AMaisRecenteTacaDeCampeaoNacionaldeHoqueiEmPatinsJaFazPartedo HelderNunes - A Mais Recente Taça de Campeão Nacional de Hóquei em Patins Já Faz Parte do Museu do FC Porto

O capitão de equipa reflete na alegria de poder estar frequentemente presente no museu do FC Porto a entregar troféus. Partilha da opinião do treinador quando diz que este título é bem mais significativo.

Hélder Nunes usa uma expressão curiosa para se referir ao trabalho necessário para terminar na primeira posição. Afirma que o plantel “deixa a vida em campo”.

Saiba Mais Sobre o Crescimento do Hóquei em Patins e das Apostas na Modalidade em Portuga

O hóquei em patins é um dos desportos mais populares ao redor do mundo e está a ganhar cada vez mais influência no continente europeu, nomeadamente em Portugal.

É verdade que o hóquei em patins ainda é uma modalidade com pouca expressão em território português, mas o seu crescimento ao longo dos últimos anos tem sido inegável.

Um dos principais fatores que contribuiu para o aumento da popularidade do hóquei em patins nas nações da Europa foi o facto de haver bastante incerteza em torno do resultado final de uma partida.

O jogo está repleto de surpresas, o que ajuda a alavancar o fator entretenimento e a atrair mais praticantes e fãs de desporto. Como é o caso de qualquer modalidade que comece a registar uma expansão da comunidade de entusiastas, as apostas no hóquei em patins estão agora disponíveis em muitos países. E Portugal não é exceção.

No hóquei em patins, cinco atletas de cada equipa jogam num ringue e usam um stick para orientar a bola até à baliza adversária. A Worldskate é o organismo que regula e organiza a prática do hóquei em patins, e de todos os outos desportos de patinagem, a nível global.

Em Portugal, a história da evolução do hóquei em patins está ainda um pouco envolta em mistério. Mas acredita-se que os primeiros jogos de patinagem tenham sido realizados na primeira década do século XX no Colégio Militar de Lisboa, por influência dos ingleses.

De acordo com a Federação Portuguesa de Patinagem, existem agora mais de 117 clubes de hóquei em patins no país. No entanto, a maioria desses clubes ainda conta apenas com a secção de equipas infantis. Mesmo assim, os jovens participam em competições federadas por todo o território português.

Embora, em muitos outros países, o hóquei em patins seja uma modalidade maioritariamente apreciada pelas gerações de adultos, é interessante verificar a maior abertura na mentalidade desportiva das crianças e dos jovens em Portugal.

São eles que têm contribuído grandemente para o crescimento de desportos como o hóquei em patins, o voleibol, o andebol e o basquetebol. Enquanto isso, as outras gerações continuam quase exclusivamente interessadas no futebol.

Como já referimos, as plataformas online de apostas desportivas em Portugal, sempre atentas à evolução das diferentes modalidades no território, passaram a demonstrar curiosidade em oferecer opções para apostas no hóquei em patins. Na verdade, de forma geral, as apostas desportivas em Portugal têm-se tornado cada vez mais procuradas.

Os campeonatos domésticos e internacionais de hóquei em patins são muito entusiasmantes. Para além disso, existem jogadores em equipas portuguesas que estão a ganhar visibilidade junto do grande público, tais como Jordi Adroher e Valter Neves.

Tudo isso faz com que o dinheiro movimentado nas apostas aumente. O site Betclic foi o primeiro a trazer apostas de hóquei em patins para Portugal. Só no primeiro jogo, a plataforma reuniu mais de mil palpites.

Agora, são vários os espaços online que oferecem quotas atrativas aos apostadores. Compare-as cuidadosamente antes de submeter a sua previsão.

Em época de Campeonato Nacional, está na altura certa de começar a explorar o mundo do hóquei em patins português e, quem sabe, apostar nos confrontos.

3 Jovens Promessas Portuguesas do Hóquei em Patins

No ano passado, presenciámos a formidável evolução de vários jovens talentos europeus do hóquei em patins, tais como Vieirinha, Ignacio Alabart e Jordi Burgaya. Esses e outros nomes passaram de promessas para certezas absolutas do futuro da modalidade.

Agora, mais jovens estão a trilhar o mesmo caminho. Apresentamos três dos melhores jovens jogadores portugueses de hóquei em patins, nos quais será interessante mantermos a nossa atenção daqui para a frente.

Gonçalo Nunes

imagem artigo3JovensPromessasPortuguesasdoHoqueiemPatins GoncaloNunes - 3 Jovens Promessas Portuguesas do Hóquei em Patins

O tempo vai encarregar-se de tornar Gonçalo Nunes num grande nome internacional do hóquei em patins. Basta que a jovem promessa continue no caminho que está a traçar.

Gonçalo Nunes iniciou a sua formação no Paço de Arcos e já passou pelo Benfica. Atualmente, está ao serviço do Sporting. No entanto, por via de um empréstimo, tem defendido, durante a época corrente, a camisola do seu clube original, o Paço de Arcos.

Com apenas 19 anos, Gonçalo Nunes ocupa o terceiro lugar na lista dos melhores marcadores do campeonato nacional, um feito simplesmente impressionante. O Paço de Arcos deposita no jovem talento a maior porção das suas expectativas em manter-se na primeira divisão.

Com tudo o que Gonçalo Nunes já provou e tem o potencial de provar, é muito provável que o Sporting lhe guarde um lugar na equipa principal para a próxima temporada.

Pedro Batista

imagem artigo 3JovensPromessasPortuguesasdoHoqueiemPatins PedroBatista - 3 Jovens Promessas Portuguesas do Hóquei em Patins

Pedro Batista é um competente avançado e mostra ser uma autêntica máquina de golos. Desde tenra idade que Pedro Batista tem provado ser uma das maiores garantias para a qualidade futura do hóquei em patins em Portugal.

Os seus primeiros dias como jogador foram passados no Hóquei Clube de Turquel. Durante as três últimas épocas, enverga a cor encarnada pelo Benfica. Na temporada anterior, fez parte da formação das águias que se sagrou campeã nacional na secção de sub-20.

Na presente época, Pedro Batista integra o plantel da equipa italiana do HRC Monza, por empréstimo do seu clube lisboeta. Também em terras estrangeiras, a jovem promessa tem surpreendido staff, colegas e adeptos com as suas capacidades implacáveis de remate.

Pedro Batista é, no momento, o melhor marcador do HRC Monza, tendo colecionado 18 golos em 16 partidas, uma estatística verdadeiramente admirável.

Na próxima temporada, quer continue a jogar pelos italianos, quer garanta um lugar na seleção benfiquista principal, uma coisa é certa: qualquer grupo que possa contar com Pedro Batista deve considerar-se sortudo.

Gonçalo Pinto

imagem artigo 3JovensPromessasPortuguesasdoHoqueiemPatins GoncaloPinto - 3 Jovens Promessas Portuguesas do Hóquei em Patins

O jovem português Gonçalo Pinto é uma aposta segura do Benfica para o futuro da sua equipa de hóquei em patins. O jogador é um elemento completo e versátil da formação da capital, bem treinado para pautar pela excelência em diferentes aspetos do jogo.

Na época de 2016/2017, enquanto Gonçalo Pinto prestava os seus serviços à equipa B e à secção de sub-20, o treinador Pedro Nunes reconheceu o imenso talento do jovem e convocou-o para dois duelos no plantel principal.

Grato pela oportunidade, Gonçalo Pinto respondeu à aposta do técnico de uma forma que superou as expectativas, tendo marcado cinco golos.

Atualmente, Gonçalo Pinto encontra-se a colocar as suas habilidades à prova junto dos italianos do Amatori Lodi que, na verdade, são os campeões em título no país.

A promessa portuguesa joga lado a lado com craques estabelecidos como Alessandro Verona, Luís Querido e Giullio Cocco. Mas em vez de se sentir intimidado, Gonçalo Pinto é inspirado pela qualidade dos colegas a elevar a sua performance e firmar a sua importância para o conjunto.

O futuro assemelha-se risonho para qualquer um destes três prodígios lusitanos que orgulham os adeptos do nosso país!